LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN

por Tiago Fioravante

LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
LIVRO COMEMORA OS 60 ANOS DA MAISON PIERRE CARDIN
 

Comemorando os 60 anos da Maison Pierre Cardin, a editora Assouline, já conhecida dos fashionistas, anunciou recentemente o lançamento do livro “Pierre Cardin: 60 Years of Innovation”, que faz uma retrospectiva de seu trabalho. O autor é Jean-Pascal Hesse, diretor de comunicação da marca por mais de 15 anos.

Filho de pais franceses, Pietro Cardin (seu nome verdadeiro) nasceu no ano de 1922, em Sant’Andrea di Barbarana, na província de Veneza, Itália, na casa de férias de sua família. Em 1924 voltou para Paris, onde cresceu em meio ao caos da França pós-primeira guerra mundial.

Trabalhou durante um breve período com Jeanne Paquim e Elsa Schiaparelli, e foi durante esta última experiência que conheceu Jean Cocteau que o levou a assinar o figurino do clássico “A Bela e A Fera”. Cardin trabalhou ainda com Christian Dior, onde ajudou a definir o New Look, uma das mais famosas coleções da Maison que atualmente tem John Galliano como diretor criativo, e em 1950 lançou sua própria grife.

É o grande bussinessman da moda, afinal, ele emprestou seu nome para o licenciamento de centenas produtos nas mais diversas áreas, desde gravatas até mesas, passando por perfumes e cigarros. Foi um pioneiro em buscar inspiração nas formas geométricas da arquitetura e do design. Suas principais características são a redefinição das formas femininas, a assimetria, o oversized e os ares futuristas de suas criações.

Era apaixonado por teatro, e chegou a desenhar o figurino e máscara de algumas peças. Em 1954 lançou o “vestido bolha” que virou um hit mundial. No mesmo ano inaugurou sua 1ª loja, “Eve” e em seguida a “Adam”, de moda masculina. Em 1959 foi centro de uma polêmica ao lançar uma coleção de prêt-à-porter unissex para a Printemps e foi expulso da “Chambre Syndicale de la Couture Parisienne”, da qual mais tarde retornou a fazer parte.

Para quem não conhece o muito bem o trabalho do designer, vale a pena dar uma olhada neste vídeo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s