SOBRE COISAS BOAS QUE DURAM POUCO

(Angela Chase, the one and only.)

Em 1996 eu ainda morava no interior (só fui começar a morar em São Paulo em 1997). Considerava Pixies a banda favorita da vida e já tinha tv a cabo em casa. Por isso, eu via muita televisão, em especial três programas: Monty Python’s Flying Circus, Kids in the Hall e My so-called life. Muito daquilo que sou hoje eu devo a esses programas, acho (tchan-raaan, momento emotivo). Não sei se eu conseguiria apreciar Seinfeld, por exemplo, sem os ensinamentos apreendidos com as tiradas da comédia inglesa. Tudo está interligado. É o ciclo da vida. Marcas do passado. Mas enfim.

My so-called life se chamava Minha vida de cão. Teve duração curta (1994-5). Eu tenho certa tendência a gostar de coisas que são abruptamente cortadas, que acabam de uma hora pra outra, sabe? Sinceramente acho perfeito o fato dessa série ser constituída somente de uns vinte episódios. Está tudo lá. Em uma belíssima e singela temporada. O cotidiano da Angela Chase e dos seus amigos, toda a belezinha do Jordan Catalano, a fofurice de sr. e sra. Chase. Só o simples fato de Angela ser apaixonadinha por um rapaz DU MAL e com pinta de rockstar, ao mesmo tempo em que ela própria, Angela, era uma garota aparentemente “comportada”, já mostra a relativa complexidade do enredo. A trilha sonora do seriado também era boa (especialmente naqueles tempos do “alternativo anos 90”): Juliana Hatfield, Buffalo Tom, Afghan Whigs.

Pra mim, é mais ou menos assim que funciona: quando algo é “interrompido”, de uma hora pra outra, é porque tem coisa boa ali no meio. Eu me lembro de ouvir, à época, que My so-called life era muito “culto” e não combinava com a programação de tv (a wikipédia também tem essa teoria). Em razão disso o seriado havia sido cortado etc. Bom, sorte nossa. Prefiro um seriado de qualidade com vida curta, porém “perfeita”, ao invés de um que se arrasta por nove, dez temporadas. Às vezes, quanto mais a coisa se arrasta, menos ela tem a nos dizer e menor é seu significado (isso também poderia valer para relacionamentos… preciso refletir mais sobre o assunto).

Estou quebrando a cabeça pra me lembrar de outras coisas boas que duraram pouco tempo (só pra tentar dar algum sentido à minha teoria). Acho que o próprio Monty Python’s Flying Circus é um bom exemplo, já que é um seriado meio perfeito e foi produzido entre 1969 e 1974. Posso ir além (uia!) e dizer que a fase áurea de Pixies foi entre 1985 e 1993. Ou seja, curta. Mas isso, claro, não é regra. É só uma teoria boba.

(Suspiros saudosistas.)

Anúncios

10 Respostas para “SOBRE COISAS BOAS QUE DURAM POUCO

  1. Absolutely Fabulous merece ser mencionado!

  2. Opa! Lembrei agora também de Studio 60 on the Sunset Strip!

  3. Off Centre(2001-2). Cancelado no 7º episódio da 2ª temporada (foram gravados ao todo 28 episódios).

    Pushimg Daisies(2007-9). Teve duas temporadas (a 1ª com 9 e a 2ª com 13 episódios). A segunda temporada sequer foi exibida no Brasil.

  4. \o/

    eu não tinha TV a cabo nessa época, mas hoje eu tenho internet e super estou baixando todos os 19 episódios!

  5. Eu pensei em Huff, que conheci por causa da Gé e muito me apaixonei. E acabou. 😦
    Eu muito acho que sua teoria faz sentido sim, porque fazer coisas boas sempre dá mais trabalho e tal. Coisas ruins são mais fáceis, frequentes de domínio público! haha
    Muita vontade de ver My so-called life! Fiquei curiosa. 🙂

  6. Nooooossa, Pushing Daisies era incrível!

  7. acho q é isso mesmo, sá, fazer uma coisa de qualidade é mais difícil. até que minha teoria não é tão furada assim =]

  8. Aaah, My So-Called Life! 🙂 Claire Daines pra variar, linda, né? rs.
    Teve uma série que passava na Warner chamada Everwood que eu gostava muito. Pouca gente assistia. Durou 4 temporadas. Não foi tão pouco tempo, mas também não foi muito. O chato é que alguns assuntos acabaram não sendo resolvidos direito, sabe? Tinha uma trama muito boa, diálogos bem escritos… já cheguei a pensar que, assim como a teoria de My So-Called Life, era uma série culta demais pra programação da TV… :-/

  9. Achei o fim de My So-Called Life terrível, triste, porque deixou muuuuuitas coisas em aberto. Realmente foi uma pena cancelarem um programa tão bom. O Brian era, para mim, o par certo para a Angela.

  10. Ai, adorava essa série também.Será que a gente encontra pra comprar ou baixar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s