A SALVAÇÃO NO CINEMA

por Angélica Bito

Ando experimentando uma crise pessoal. É normal ter isso, acho. Pelo menos para mim. Este feriado foi particularmente doloroso neste sentido. Fiquei um pouco enfiada na minha toca de sombras, como costuma definir minha terapeuta. Nesses momentos repletos de dores pessoais e problemas de autoestima, me escondo no cinema. Não necessariamente no local escuro e lúdico, mas na arte mesmo. Me entupi de filmes neste feriado, dos mais diversos possíveis, e posso dizer que, mais uma vez, foi o cinema que me deu aquela forcinha boa pra seguir em frente. Não necessariamente por mensagens edificantes ou algo do gênero, mas porque pensar que posso ver mais e mais filmes que me dão horas de prazer significam mais motivos pra viver do que as pessoas que me decepcionam, por exemplo.

Algo crucial nesse meu processo de ser salva pelos filmes foi ter aprendido a baixá-los. Veja bem: não me considero uma criminosa; não ganho dinheiro com isso. O máximo que faço é assistir aos filmes ou séries. Às vezes, até faço boas ações e gravo para os amigos (tenho feito isso com uma recente descoberta que só salvou minha vida por causa da tecnologia: a série Parks And Recreation, que está na segunda temporada, é simplesmente genial e não é exibida aqui!). Enfim, este fim de semana, baixei dois filmes.

Um deles foi [REC] 2, continuação do terror espanhol [REC]. Sou fã de filmes de zumbis e [REC] (2007) é um deles, numa roupagem moderna, misturando essa linguagem de reality shows com o mais puro e simples terror. A continuação, que chega aos cinemas brasileiros no segundo semestre, começa quinze minutos após o final do primeiro longa, que foi um grande sucesso do gênero e até virou refilmagem norte-americana (o também competente Quarentena). Só que, neste novo filme, temos a entrada de um personagem que joga luz sobre o mistério do vírus que toma conta de um prédio no centro de Madri, levando os personagens a um verdadeiro pesadelo. [REC] 2 é assustador, seu roteiro é complexo, inteligente e os novos personagens funcionam. Dirigido por Jaume Balagueró e Paco Plaza, diretores do primeiro longa, [REC] 2 prende o espectador em uma assustadora onda de terror.

2[REC] 2

Cena do terror

Outro completamente diferente ao qual assisti neste fim de semana foi Ponyo on the Cliff by the Sea, o novo trabalho do gênio dos animes Hayao Miyazaki. O filme é de 2008, mas ainda não estreou por aqui nem há data prevista para tal. Uma pena. Cansada de esperar, resolvi baixar e este filme, visto na noite deste domingo, deixou um sabor bom depois de altos e baixos emocionais no feriado. É um anime infantil, que reserva as características que fizeram de Miyazaki um cineasta admirado ao redor do planeta. Ele consegue como poucos captar a inocência infantil refletida em seus personagens, inocência capaz de salvar o dia em todos os seus filmes.

O estético do cineasta é inconfundível: muitas cores, ambientações complexas e personagens tão fofos que dá vontade de abraçar a tela. Miyazaki é do tipo que ainda produz animações artesanais: mais de 160 mil fotogramas animados foram utilizados na produção de Ponyo on the Cliff by the Sea; algumas cenas foram ilustradas com giz pastel e aquarela. Por isso esse acabamento tão especial. Ponyo do título é uma peixinha que acaba perdida no mundo dos humanos. Com superpoderes, ela é filha de uma deusa do mar. Quando conhece o pequeno Sosuke, de cinco anos – assim como ela -, logo nasce um amor bonito e inocente entre os dois. O sentimento faz com que Ponyo faça de tudo para virar uma menina para viver com Sosuke. O que acaba criando uma tremenda confusão entre o mundo do mar e os humanos que vivem nessa cidade litorânea onde o menino vive. Existe magia, existe fofura, existe cores, existe tudo que deveríamos ter em nossas vidas. É por isso que os filmes de Miyazaki sempre me fazem muito bem. São sempre visualmente complexos, de encher os olhos, com tramas repletas de magia, levando o espectador, independente da idade, a se sentir como quando era criança. Quem não gosta disso, não é mesmo? Isso sem contar os personagens, sempre tão complexos e extremamente adoráveis. Aproveite e descubra todos os outros filmes de  Miyazaki, como o clássico recente A Viagem de Chihiro e um mais antigo, Meu Vizinho Totoro, um dos filmes mais lindos que já vi na vida toda.

Ponyo on the Cliff by the Sea

Sosuke e Ponyo: tenha uma ideia da fofurinha que eles são

No meu post anterior aqui no blog, escrevi sobre um filme que, embora esteja disponível no mercado brasileiro, pouca gente viu. O texto quase não rendeu comentários. Confesso: fiquei tensa. O Eduardo disse que ninguém comentou por que ninguém viu o filme. Pode ser. Seguindo esta lógica, ninguém vai comentar este post também, mas não tem problema. Se o texto fizer alguém assistir a esses filmes, ou mesmo refletir sobre o papel do cinema em sua vida, já terei cumprido meu papel. Com ou sem comentários!

Anúncios

6 Respostas para “A SALVAÇÃO NO CINEMA

  1. eu adoro Viagem de Chihiro! e quero ver esse Ponyo porque me identifiquei com o cabelo do rapazinho! =D
    p.s.: vou banir os comentários do blog se isso começar a virar motivo de crise existencial, obrigado.

  2. Ai, não vi muita graça em A Viagem de Chihiro… todo mundo gosta menos eu. :-S

    Passei por uma crise braba no fim de semana tb (quem dera ela tivesse FICADO no fim de semana *rs), mas com meu pai monopolizando a TV e meu iPod sem bateria, nem tive muito pra onde correr. *rs

    :*

  3. nossa, muito ando precisando levar uns sustos. quero ver esses filmes todos! ultimamente só tenho assistido filmes baixados da internet. não me sinto criminoso, já que, como você bem observou, isso não rende dinheiro algum, né? quanto aos comentários, acho bobeirinha: primeiro, porque nem todo mundo que lê necessariamente tem o que comentar (além dos próprios raciocinios em cima da leitura) e segundo, porque o número de comments não reflete o número de pessoas que efetivamente leu um post, vide número de acessos maior do que o de comments e tals! fica bem, migona!

  4. é verdade, rê. mas às vezes, quando a gente não tá mto boa, parece que necessita de opiniões alheias pra validar nosso valor, sabe? tava nessa vaibe. mas vou focar sair dela sempre que possível!

    sá, que bom q te mandei mensagens engraçadas na noite de sábado, heim? haha, tava tomando umas caipirinhas GIGANTES e tals!

    amigão, não deleta, vou tentar me manter longe das crises!

  5. cara, na buena, a viagem de chihiro é ALGO. e eu posso dizer que sou uma das pessoas que recebe com carinho as suas BOAS AÇÕES hahaha. ontem vi mais alguns ep. de parks, depois de longas quatro horas de trânsito etc. \o/

  6. [REC] e [REC]2 estão na lista de melhores filmes de terror da década de 10 junto com Madrugada dos mortos (do Zac Snyder), 30 dias de noite, Extermínio e Crossroads – amigas para sempre! \o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s