MRS. ROBINSON, I CAN’T DO THIS ANYMORE

The graduate (\o/)

O filme começa com Benjamin Braddock chegando de viagem. Ele está numa daquelas esteiras de aeroporto, deslizando. Sendo levado. Simbolicamente levado pela vida, eu acho. Ele não se mexe, só fica ali, parado. Como se estivesse sendo carregado. E é uma sequência linda, linda. A música de fundo é The sound of silence. People talking without speaking e tals.

Eu sou um pouco doida por esse filme, A primeira noite de um homem (1967). Gosto mesmo. Uma das razões está nesse personagem tão singular, o Benjamin Braddock (Dustin Hoffman gatzinho, xxovem, em boa forma). Outra razão reside na trilha sonora, acho. As músicas são sempre do Simon & Garfunkel, fofas, fofas.

Braddock acabou de se formar na faculdade e volta para a casa dos pais. Ele está sofrendo com toda uma indecisão profissional, todo um vazio. Na verdade, ele meio que não tem nada pra fazer. Eu sempre fico achando tão interessante isso dele estar num “não-lugar”. Há cenas lindas, lindas, de Braddock literalmente boiando na piscina dos pais, tomando sol. Ele não está nem fora e nem dentro da água, ele só fica lá, na superfície. Sofrendo e se contradizendo e refletindo, no “não-lugar” dele. People writing songs that voices never share.

É claro que Braddock cresce ao longo do filme. Em diversos momentos, ele se posiciona. Inclusive colocando outras pessoas no meio do seu processo de crescimento. De todo modo, pra mim, a parte mais importante do filme é a que trata do “não-lugar”.

Eu via muito esse filme em 2002, numa época de bastante tempo livre e blá. O velho e bom Braddock me caía como uma luva. Era eu, ali, boiando na piscina, sabe? Hoje as coisas mudaram e o “não-lugar” da minha vida foi substituído por outra coisa. Mas a delicadeza desse filme ainda me impressiona. Isso sem contar com a elegatééérrima Anne Bancroft. Quer aprender a segurar um cigarro? Observe a senhora Robinson. Quer aprender a se vestir? Olhe pras roupas dela. É incrivel.

The graduate (lego \o/)

Anúncios

10 Respostas para “MRS. ROBINSON, I CAN’T DO THIS ANYMORE

  1. Que texto fofo, Rena. 🙂 Nunca vi esse filme. Vou assistir com cuidado. É bacana quando um filme tem um significado assim muito pessoal e quando enxergamos coisas incríveis em cenas simples. 🙂
    Acho que Albergue Espanhol é assim pra mim.

    :*

  2. nunca vi o filme, sabia? vou pegar na lôucadora! — tô meio que apaixonado pelo seu jeito de escrever renata. é normal? é saudável?

  3. esse filme é um must-must. e Simon & Garfunkel são tudo na vida, não? Sound of Silence é uma coisa, viu.

  4. eu li rápido e enxerguei que o jaimão dizia “estou apaixonado por você” hahahauahahaha! :****

  5. renata eu te amo, mas fica tranquila que não vou te pegar (lia bbb)

  6. Só fui ver esse filme muito recentemente e ele não me pegou da mesma forma que te pegou, Rena. Talvez por eu não ter me identificado com o personagem.
    De qualquer forma, é um filme ótimo.

  7. bonito, bonito. amo esse filme. e cada revisão nos traz novas impressões. acho que agora vc o viu de forma diferente em comparação a 2002. tenho uma relação meio assim com VIDA DE SOLTEIRO.

    rena, te amo, mas fica tranquila que não vou te pegar.

    \o/

  8. haha, fiquem tranquilos, amo todo mundo, mas não vou pegar vcs! #bbb10

  9. Nossa, faz muito tempo que eu vi esse filme. Não me lembro de várias coisas. Super precisava rever!

    Rena, seus posts são sempre agradáveis de ler. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s